Subida ao Mont Ventoux

Quem gosta de ciclismo certamente já ouviu falar do Mont Ventoux, cenário de umas das etapas do Tour de France.

Aproveitamos o feriado do dia 15 de agosto (fête l´Assomption) para montar um roteiro rápido pela região da Provence – que acabamos estendendo até a Côte d´Azur.

Como fizemos as reservas com um mês de antecedência, a maioria das propriedades estavam ocupadas.

Conseguimos um chambre d´hôte em Mazan – eles não estão no Booking, mas aqui segue o link: Au Mas des Aubépines – Os proprietários são gentis, o quarto é bom e o café da manhã está incluso na diária. Optamos por 2 noites.

Voilà, bikes e equipamentos no carro – aquela sensação de que sempre levamos mais do que precisamos, fizemos a primeira parada em Lyon. Já passava das 22h00, mas mesmo assim conseguimos dar um pulo no Façade Café, um bar no coração da cidade e cheio de histórias pra contar – mas não agora.

Passamos a noite no Ibis Lyon Gare Part Dieu – que você pode reservar através do nosso site sem custo adicional e ainda nos ajuda com isso – merci !

Na manhã seguinte, chegamos em nosso destino e sem perder tempo – tipo sangria desatada mesmo, tratamos de tirar nossas magrelas do carro para reconhecimento do percurso – aos pés do Mont Ventoux.

Vale lembrar que a subida dá pra ser feita por diferentes acessos, a mais longa é pelo vilarejo de Bédoin, foi onde escolhemos. Lá há ciclistas por todos os lados e pra quem não puder levar a própria bicicleta, dá pra alugar em uma das lojas.

Bédoin

Desesperados que somos, ensaiamos uns trechos só pra entrar no clima, mas o desafio mesmo seria no outro dia – antes das 09h:00, porque o calor seco da região castiga!

Com o resto do dia livre, conseguimos visitar duas cidadezinhas próximas, Gordes e Fontaine-de-Vaucluse – onde jantamos.

Vilarejo suspenso de Gordes
Gordes
Gordes
Fontaine-de-Vaucluse
Fontaine-de-Vaucluse

Expectativas mil, sábado foi o dia da nossa aventura. Esse desafio tem 1.970 metros de altitude e acredite, o meio mais divertido não é com bicicletas de contrarrelógio, mas como diz minha mãe “cada um vai com o que tem” e nós subimos com as nossas!

O total do percurso deu 22 km, e posso afirmar, com certeza, que é um nível de dificuldade super hard (pelo menos para nós, amadores). As montanhas não tinham fim, incrível.

Em vários momentos enxergávamos o pico, parecia que estava perto e lá vinham mais subidas intermináveis e aquela vontade de chegar logo ou de gritar o quanto estávamos cansados (de que adiantaria?).

Ensaiando um sorriso porque tinha fotógrafo profissional no caminho

Enfim… Depois de pouco mais de duas horas, chegamos no topo do mítico Mont Ventoux! Aquele misto de alegria, emoção, desafio, dever cumprido nos aguardava. E com direito a essa vista linda que é impossível transmitir só com fotos.

Pra quem quiser reabastecer, lá em cima tem algumas guloseimas, além de bebida gelada. E tem desfile de bikes, claro!

Em compensação, as descidas, alguém nos segure! Atingimos 63km/h e em poucos minutos estávamos de volta ao ponto de partida e já pensando quando vamos topar encarar essas montanhas mágicas novamente!

Após essa “quebradeira”, um brinde com o verdadeiro vinho rosé da região de Provence!

Santé !

Nosso tour ainda incluiu as cidades:
_ Avignon;
_ L´Isle-sur-la-Sorgue;
_ Roussilon;
_ Gorges du Verdon e Lac de Saint-Croix
_ Saint-Tropez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *