Aventura além dos 100km

Domingo ensolarado, a primavera enfim chegou por aqui e nos aqueceu com seus 20°C logo pela manhã, e claro, nos motivou para essa empreitada.

Antes de tudo, um breve resumo de como adquirimos nossas bicicletas na França. Vendemos nossas bikes (modelo speed) no Brasil pouco antes de embarcarmos, para aproveitarmos delas ao máximo. Então, desde que chegamos, em novembro, nossos planos incluíam comprar as novas, e desta vez, miramos a contrarrelógio para dar continuidade aos treinos de triathlon.

Em janeiro, época dos famosos “soldes” (promoção geral na Europa, que se liquidam de tudo, de sapatos até automóveis), começamos as buscas. Encontramos pela internet a loja de esportes inglesa Weegle, que entre diversos itens, liquidavam, mesmo que com desconto moderado, algumas bicicletas de triathlon, dentre elas, as que nos apaixonamos logo à primeira vista, as contrarrelógio da marca Quintana Roo, et voilà, achamos nosso “bonheur”, como dizem os franceses.

Bikes

O frio foi o grande vilão que nos impediu planejar as saídas de bike nos finais de semana até meados de abril! Então, focamos mais as corridas e a natação nesse período – além da comilança que o inverno proporciona, que nos renderam uma certa “sustância” suplementar, como dizia minha avó. Com a chegada da Primavera, logo pudemos dar início e botamos as magrelas para rodar na França. Começamos com saídas curtas entre 40 e 50km pelas redondezas entre Fontainebleau, Milly-la-forêt, Barbizon, Melun. Também para conhecer as bicicletas novas e ganhar confiança com a nova máquina.

Mas faltava uma coisa, fazer o primeiro longão com elas. A Maria logo de cara soltou: “vamos para Provins?”. Provins é uma linda e charmosa cidade medieval, que conhecemos durante o inverno, distantes 55 km de Fontainebleau. Eu não pensei duas vezes e topei a empreitada de 110k ida e volta, Fontainebleau-Provins-Fontainebleau.

Os primeiros 35 km são apaixonantes, vilarejos calmos, lindas retas entre florestas e campos de canola, aveia e trigo. Fora o vento contra que dificultava ganhar velocidade, era tudo tão perfeito que me sentia de férias passeando pelo interior da França. Os seguintes 20k até chegar em Provins ficaram um pouco mais complicado com diversas subidas. Enfim, chegamos bem na hora do almoço, uma média de 23km/h durante o trajeto. Tiramos nossas sapatilhas, vestimos nossas havaianas e partimos procurar um almoço, ou melhor, um famoso “menu complet” para repor as energias!

Nós na Colza

Almoçamos no restaurante Creperie Normande Chez Mammy, fortemente recomendado. Evite o vizinho Lê Dome, além de mais caro, o atendimento é ruim e não se tem vista para a charmosa pracinha de Provins.

Creperie Normande chez Mammy

Menu complet

Depois do rango completo, tivemos tempo para descansar um pouquinho, e pegamos o caminho de volta para Fontainebleau, completando assim, nossos 110k do domingo.

IMG_4861

Cidades e vilarejos que cruzamos no caminho: Fontainebleau, Avon, Samoreau, Vulaines-Sur-Seine, Machault, La Chapelle-Rablais, Nangis, Vanvillé, Maison-Rouge, La-Chapelle-Saint-Sulpice, Voulaines-lè-Provins, Provins.

Quer saber mais dessa aventura de bike? Escreva-nos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *